0
Ficção Literatura estrangeira Romance

Motivos para ler “Agora que ele se foi”, de Elizabeth Acevedo

Elizabeth Acevedo é certamente um dos nomes recentes mais conhecidos e celebrados da literatura Young Adult contemporânea. Seus romances costumam abordar temas como auto-aceitação, sexismo, sexualidades, identidades cultural e racial, e receberam mais de 25 prêmios literários nos últimos anos. A autora é norte-americana de origem dominicana e se identifica como “afro-latina”, e cresceu em uma família católica bastante conservadora. Detalhe que aparece bastante em seus livros. É campeã nacional de poesia slam, tendo performado no Madison Square Garden e Lincoln Center, detalhe que pode ser encontrado em seus livros, principalmente em “A Poeta X”.

Apesar de ser conhecida no Brasil por seus romances “A Poeta X”, “Agora que ele se foi”, e “Em fogo alto”, Acevedo também possui contos e poemas em 5 antologias: “Beastgirl & Other Origin Myths”, “Because I Was A Girl: True Stories for Girls of All Ages”, “Women of Resistance: Poems for a New Feminism”, “Ink Knows No Borders: Poems of the Immigrant and Refugee Experience” e “Woke: A Young Poet’s Call to Justice”. E ela usa não apenas o seu talento para escrita, mas também sua voz, já que atua também como narradora de audiobooks, sendo “Agora que ele se foi”, “A poeta X” e “Em fogo alto” alguns deles. Vídeos com suas poesias apareceram em grandes sites como The Huffington Post, Upworthy, Latina Magazine e Cosmopolitan.

“Agora que ele se foi” é um dos livros mais premiados de Elizabeth Acevedo, e provavelmente o livro mais conhecido da autora no Brasil. A trama nos leva à jornada de duas irmãs adolescentes de países diferentes, filhas do mesmo pai que não sabem da existência uma da outra, mas que se encontram quando ele sofre um acidente de avião.

Confira 5 motivos para ler este livro:

1 – O primeiro motivo pode parecer desnecessário, ou mesmo curioso, mas algo que sempre chama a atenção são os nomes dos personagens. Protagonistas com nomes bonitos e diferentes sempre funcionam como um chamativo à leitura para muitos leitores. E em “Agora que ele se foi” os nomes das protagonistas são Camino e Yahaira, dois nomes maravilhosos.

2 – As duas protagonistas são de países, classes sociais e culturas diferentes, e esse “embate” sócio-cultural-geográfico se mistura com raça, privilégio e ambição profissional de um modo que não se torna enfadonho para o leitor.

3 – Representatividade lésbica, negra e latinx, principalmente através das personagem Yahaira e Dre, sua namorada negra.

4 – É o retorno de Acevedo aos romances escritos em verso, após escrever “Em fogo alto”, além de ser uma narrativa mostrada através de duas perspectivas diferentes.

5 – É baseado em um acidente real, o Voo da American Airlines 587, acontecido dois meses após o ataque das torres gêmeas. No acidente, a aeronave caiu poucos minutos após a decolagem em novembro de 2001.

Assista ao vídeo

YouTube player

 


Participando do Clube Impressões: um espaço voltado para a leitura e discussão de obras ficcionais que levam a refletir sobre assuntos como raça, gênero e classe, e que promovam pensamento crítico sobre a realidade de grupos minorizados. Clique aqui para participar.

Clube Leituras Decoloniais: um projeto coletivo negro que conta com a curadoria de quatro mulheres negras que produzem conteúdo na internet sobre literatura decolonial. Clique aqui para participar.

Você poderá gostar

Nenhum comentário

    Deixe um comentário

    Narrativas com fluxo de consciência Livros para quem gostou de “Renaissance”, de Beyoncé Conheça a escritora Natasha Brown