Geral

Coadjuvantes Especiais

Há uma frase muito explorada em exemplos de roteiros que é que “não existe piada ruim e sim, piada mal-contada”. Realmente, isso é verdade. Todo o tipo de estereótipo já foi fartamente recontado e para não ocorrer um desgaste literário, o autor precisa ser o mais criativo possível, para não saturar a paciência do leitor.
Toda história tem um início, meio e fim sempre naquele ritmo alternado com clichês e previsibilidades. Há o herói, o vilão, a questão onde a trama irá girar, alguns contratempos necessários, uma dose de drama, romance, um pouco de cenas engraçadas e o final onde o bem vence o mal.
Mas o que poderia tornar a obra com um detalhe mais especial? Tudo. Mergulhe na pesquisa e explore os seus conhecimentos. Procure esquematizar menos os personagens e enriqueça suas biografias e árvores genealógicas.
Mas o detalhe especial do post de hoje são para os coadjuvantes. Se o livro fosse uma receita de bolo, Os componentes seriam os ingredientes essenciais e os coadjuvantes, os temperos especiais. A escolha do tempero certo que fará a iguaria marcante.
Os coadjuvantes tem a importante missão de não deixar o enredo previsível demais. Você pode até se atrever a mostrar uma típica história de amor, suspense ou qualquer outro gênero; mas se os personagens aliados do herói e do vilão forem biograficamente atraentes, sua obra terá um rumo fantástico, tornando todo o conteúdo irresistível.


Leo Vieira

Você poderá gostar

5 Comentários

  • Responder
    Unknown
    15 maio, 2014 em 23:42

    Nossa, adorei o que você escreveu, muito legal.
    Eu, por incrível que pareça, tenho vontade de ler um livro que o mal vença sobre o bem. Não que eu goste do mal, hahahaha, mas é que seria legal ver uma coisa tão diferente do habitual.

    http://enquantoestavalendo.blogspot.com.br/

  • Responder
    Jéssica Neves
    16 maio, 2014 em 00:12

    Um dos últimos livros que eu li tinha coadjunvantes bem diferentes , com um senso de humor bem bacana. E o final não era muito previsível, então, fez toda diferença na leitura.

    Aaah , indiquei o blog pra uma tag diferente http://quenerdissealice.blogspot.com.br/2014/05/tag-meme-escrito.html , se quiser (em) particpar .. Beeijos

  • Responder
    Thati Machado
    16 maio, 2014 em 18:36

    Foi sobre ele que você comentou lá no blog, não é? Poxa, não vi por lá… E tampouco vi o seu livro. Posso ter passado batida, uma pena.

    Adorei o que você escreveu e concordo plenamente. Os autores precisam mesmo ser muito criativos…

    Thati;
    http://nemteconto.org

  • Responder
    Mih
    17 maio, 2014 em 18:34

    Adorei o post e você tem razão! Um bom coadjuvante ajuda e até alavanca a estória!! Muito bom!!

    Beijinhos
    Mirelle – meumundoemtonspasteis.com

  • Responder
    Maria Ferreira- Impressões de Maria
    18 maio, 2014 em 00:30

    Foi sobre ele mesmo. Um apena, mas ainda terão muitas oportunidades para se encontrarem.

Deixe um comentário

Os livros de Ayọ̀bámi Adébáyọ̀ Romances que abordam o tema da gentrificação Livros de estudos literários negros