Ficção

“Fumaça Branca”, de Tiffany D. Jackson: Um terror que surpreende

“Fumaça Branca” é um livro de terror e suspense, lançado pela editora Seguinte em 2022, escrito por Tiffany D. Jackson e traduzido por Solaine Chioro. Vale a pena mencionar que a autora norte-americana possui vários títulos já lançados, entre eles “Blackout: o amor também nasce no escuro”, onde Tiffany é uma das autoras que compõe as 6 histórias que se entrelaçam no livro.

Em “Fumaça Branca” conhecemos Marigold (Mari), como muitas famílias hoje em dia, os pais de Mari são separados. Sua mãe casou-se novamente com Alec e agora além dela e seu irmão mais novo Sammy, a filha de 10 anos de Alec também se junta à família. Após sua mãe receber uma proposta de emprego que garante moradia gratuita, todos se mudam para a pequena e conservadora cidade de Cedarville.

Quando chegam ao local, percebem que o quarteirão onde vão morar está cheio de casas vazias e queimadas, que de acordo com o empregador de sua mãe – o senhor Sterling – passarão por reformas que irão valorizar a região.  A nova casa de Mari passou por essa transformação, é justamente por isso que eles são a primeira família a inaugurar o quarteirão.

Ao longo do livro a menina vai percebendo que coisas estranhas acontecem na casa, não só nela, mas na cidade inteira, como: o sinal de internet que nunca funciona, objetos que começam a desaparecer, ela escuta sons durante a madrugada e sempre acorda no mesmo horário, ademais Piper (filha de Alec) vive conversando sozinha e quando questionada diz estar falando com sua “amiga” Dona Dulce.

Na escola, Mari também descobre algumas coisas, por exemplo: a maioria da população da cidade é composta por pessoas negras, assim como ela. Os Sterlings (empregadores de sua mãe e de seu padrasto) são donos de quase toda a cidade, incluindo as casas queimadas e as várias prisões que se localizam em Cedarville e há também a informação que seus dois colegas de escola e grande parte da cidade tem parentes presos por lá, muitas vezes essas prisões são relacionadas ao racismo e injustiças.

Como se tudo isso já não fosse o suficiente, a menina tem que lutar contra forte transtorno de ansiedade devido aos traumas do passado. Somado às coisas estranhas que acontecem no interior de sua casa e na cidade, a adaptação não é nada fácil.

“Fumaça Branca” nos faz pensar naquelas clássicas histórias de terror que se passam em casas assombradas, com sons bizarros e sustos, porém, o livro é mais que isso. Caso só se tratasse de um terror clássico já me agradaria, pois sou uma grande fã de histórias de terror. Mas, o livro se aprofunda na história de uma cidade que já sofreu muitas perdas e nos engana com quem são os verdadeiros vilões por trás de tanta maldade. Trata-se de uma narrativa que consegue mesclar o terror com questões importantes como racismo e como algumas pessoas movem mundos e fundos para se livrar de uma comunidade.

Além disso, o livro também trata de um tema muito importante que é o transtorno de ansiedade sofrido pela personagem principal, confesso que li o começo em marcha lenta, pois me identifiquei com muitos dos sentimentos descritos por Mari quando estava tendo crises. A autora descreveu os sintomas de forma muito real, por isso, acredito que caso esse livro chegue a um leitor que nunca tenha entendido o que é ter ansiedade, talvez consiga nos compreender um pouco melhor. 

Para finalizar, preciso mencionar que adorei o livro, fazia tempo que não lia o gênero terror e só me fez ter mais vontade de procurar histórias assim.

Você poderá gostar

1 Comentário

  • Responder
    Lady Sybylla
    8 setembro, 2023 em 20:37

    Esse livro está na minha fila do Kindle e a resenha me fez passá-lo na frente da lista de leitura. Obrigada!

Deixe um comentário

Os livros de Ayọ̀bámi Adébáyọ̀ Romances que abordam o tema da gentrificação Livros de estudos literários negros